Lucio Laserna

SOBRE A NOSSA HISTÓRIA,

POR LUCIO LASERNA

Origens da gestação da FELASCC: revisão histórica do Conselho Consultivo Permanente (PCA).

 

Os antecedentes que levaram à criação da Federação Latino-Americana de Sociedades de Ciências Cosméticas remontam ao ano 2000, ano de sua fundação.

Há mais de 4 décadas, os delegados das sociedades latino-americanas que estiveram em Santiago do Chile (1972) onde se realizou a 2ª Conferência de Cosméticos e Perfumaria organizada pelo SCHQC, trocam ideias e compartilham suas realizações e projetos. Conscientes de suas dificuldades e objetivos comuns, expressos na mesma língua, da fraternidade entre os países que vislumbra o futuro brilhante da indústria cosmética no continente.

Desde 1973, os congressos latino-americanos são realizados a cada 2 anos para evitar a sobreposição com os congressos da IFSCC. E é em cada congresso que se discutem ideias, projetos se renovam sempre em espírito de cooperação e troca de informações. A comunicação entre as sociedades tem crescido constantemente ao longo dos anos.

Em 1987, a Associação Equatoriana de Químicos Cosméticos organizou na cidade de Guayaquil a oitava COLAMIC, dentro da qual deliberaria sobre a necessidade de criar um conselho consultivo permanente entre as sociedades de químicos cosméticos da América Latina. Em seus considerandos declaram: “Dada a evolução favorável do desenvolvimento dos Congressos Latino-americanos e Ibéricos que se realizam semestralmente desde 1973 e para manter seu constante aperfeiçoamento, e tendo em conta que ainda, em muitos países latino-americanos não há Existe uma associação que agrupa os profissionais da cosmética e propõe:

Criar um conselho consultivo permanente das associações de química cosmética da América Latina

Tendo como objetivos:

a) Promover e orientar a criação de Associações de Química Cosmética nos países latino-americanos que ainda não as possuem.

b) Aconselhar e orientar no desenvolvimento de sistemas educativos para a formação de recursos humanos úteis nos diferentes níveis da cosmética científica e tecnológica.

c) Aconselhar sobre os mecanismos para conseguir um maior impulso da pesquisa científica e aplicada de cosméticos nos países membros.

d) Assessorar na organização e desenvolvimento de congressos, conferências e reuniões científicas, etc. a ser feito no futuro.

e) Responder a qualquer pedido de conselho, orientação ou orientação proveniente de uma entidade membro "

Em seguida, foram estabelecidos o número e a qualidade de seus membros e sua designação, bem como a duração de seus cargos e o financiamento das ações do CPA.

O primeiro conselho de administração é então constituído

Presidente: pela AEQC Dra. Isabel de Luque

1º Vice-Presidente: pelo AAQC Dr. Jaime Rubín

2º Vice-Presidente: pelo APQC Sr. Paul Duclos

Secretário: pelo AEQC Dr. Julio Ycaza Real

Secretário Adjunto: pelo SCHQC Dr. José Joaquín Pérez Villalba

Tesoureira: pela AEQC Dra. Susana Valdiviezo V.

 

Como primeira tarefa, o CPA está empenhado na elaboração de um primeiro Regulamento para os futuros Congressos Latino-americanos e Ibéricos de Química Cosmética, que posteriormente seria aprimorado ao longo dos anos. A periodicidade das reuniões do CPA é, até 1993, a cada dois anos, ou seja, por ocasião de cada congresso latino-americano. E a partir desse ano, devido à necessidade crescente de maior comunicação e à busca contínua por maior eficiência na preparação dos COLAMICs, eles aconteceriam todos os anos.

Esta CPA, que funcionará até o ano 2000, constitui, sem dúvida, o preâmbulo da criação do FELASCC. A atividade da CPA desperta cada vez mais interesse para as Sociedades Latino-Americanas que veem nela o motor do desenvolvimento regional de suas instituições.

Diante do inesperado desaparecimento do Dr. José Joaquín Perez Villalba, o primeiro Coordenador latino-americano do IFSCC, apreciado por todas as sociedades latino-americanas com as quais cultivou laços fraternos, o AAQC propõe à diretoria da CPA e como homenagem póstuma, a criação de um prêmio com seu nome, definindo seu escopo e financiamento. Este prémio, que seria atribuído ao melhor trabalho científico sobre matérias-primas naturais de origem regional e de interesse cosmético apresentado num COLAMIQC, foi votado e aprovado por unanimidade. Este prêmio de 2.000 dólares norte-americanos seria financiado com a contribuição das sociedades membros com base no número de sócios, sendo concedido a autores com até 40 anos de idade.

Ficou resolvido que doravante os trabalhos científicos de cada país devem ser enviados por cada sociedade, que fará uma pré-seleção quanto ao seu caráter inédito, exigindo o comprometimento dos autores em comparecer ao Congresso. Tudo isso sem prejuízo do trabalho da Comissão de Premiação de cada Congresso. Da mesma forma, as empresas estão autorizadas a publicar os trabalhos apresentados nos congressos a posteriori. Nesse encontro, o presidente do AUQC Dr. Uberfil Delbene propõe a criação de um centro de formação técnica para jovens profissionais da América Latina, sugerindo um intercâmbio anual de especialistas com cursos teóricos e práticos coordenados pelo CPA.

 

É assim que acontecem os encontros em São Paulo em agosto de 1994, onde se discutem o registro de produtos cosméticos nos diversos países membros e sua harmonização e a ideia formulada no encontro de Montevidéu do ano anterior. O AAQC então presidido pelo Dr. Lucio Laserna apresenta um projeto de formação que favorece o intercâmbio de profissionais especialistas cuja função seria formar jovens através da realização de cursos teórico-práticos administrados pela CPA.

Em 1995, a reunião da CPA ocorre novamente no Brasil no dia 30 de agosto durante o XII COLAMIQC, realizado em São Paulo. Participam os presidentes das Sociedades Latino-americanas e Espanhóis e, a convite, o Presidente, o Secretário de Relações Públicas e o Coordenador Latino-americano do IFSCC. Nela, é proposta a modificação do regulamento do COLAMIQC. Estabelecer uma contribuição de US $ 200 para cada sociedade para financiar o prêmio Perez Villalba. Da mesma forma, a cláusula que limitava a idade dos competidores é eliminada. Por outro lado, fica estabelecido que cada Sociedade endossará a obra ou obras que concorram a esse prêmio. A Sociedade anfitriã arcará com as despesas de hospedagem. Reiterando que os trabalhos qualificados para este prêmio serão aqueles desenvolvidos com o uso de materiais nativos naturais e que proporcionem um benefício às formulações cosméticas.

Em relação ao CPA, a ênfase é colocada em objetivos que vão além do estritamente organizacional, como o desenvolvimento de sistemas educacionais voltados para a formação de recursos humanos e a discussão e troca de ideias, como o estabelecimento de padrões comuns para o registro de produtos cosméticos na América Latina.

Considera-se necessário dar maior difusão ao intercâmbio de professores para que este projeto educacional possa amadurecer em todas as Sociedades / Associações.

Em maio de 1996, a CPA se reúne em Puerto Vallarta, México, onde é obrigatória a participação nas reuniões, preservando o espírito para o qual foi criada. A AAQC apresenta um projeto para regulamentar a seleção de Sociedades para sediar futuros congressos, após análise detalhada e acirrada discussão, é aprovado por unanimidade.

A ABC, a respeito do seu recente sucesso na organização do COLAMIQC, envia o regulamento de critérios para avaliação de trabalhos científicos de forma a facilitar a atuação do júri.

Da mesma forma, as Sociedades estão convidadas a enviar o quanto antes uma lista de professores para ditar cursos de especialização que desejam viajar dentro do projeto educacional para a formação de jovens profissionais da cosmética na América Latina.

Por outro lado, discute-se a sucessão do Coordenador Latino-americano no IFSCC. O atual coordenador latino-americano do IFSCC desde 1991, IQ Miguel Angel Marin, convidado para a reunião do CPA, informa que solicitou às sociedades latino-americanas que enviassem seu apoio aos candidatos propostos para sucedê-lo a partir de setembro do próximo ano. As Sociedades da Argentina, Brasil, Uruguai, Chile, Equador, Colômbia, Peru e Paraguai apóiam a candidatura do Dr. Lucio Laserna e as do México e Venezuela apóiam a candidatura do IQ Maria Teresa Alvarez do SQCM.

A seguir, o Dr. Lucio Laserna do AAQC é nomeado o próximo Coordenador Latino-Americano perante o IFSCC, que assumirá seu cargo durante a XIII COLAMIQC / IFSCC NA CONFERÊNCIA ENTRE A CONFERÊNCIA a ser realizada em Acapulco México em setembro de 1977. Dr. Uberfil Delbene do AUCC Quanto ao CPA, expressou ao Dr. Lucio Laserna, do AAQC, em uma carta de outubro de 1996: “Como sabe, atribuo grande importância ao Comitê Assessor Permanente, pois é um pedaço da Organização Interamericana onde podemos trocar idéias e chegar a estabelecer objetivos fundamentais para nós mesmos. progresso: da ciência cosmética em nossos países e de jovens estudiosos "

 

Durante a reunião da CPA em Acapulco em 21 de setembro de 1977, o ABC relata o ocorrido no COLAMIQC realizado em São Paulo, destacando sua importância não só regional, mas também internacionalmente. Destacando a assistência das autoridades do CTFA dos EUA e da COLIPA da UE em conjunto aos palestrantes enviados pelo IFSCC promovem a integração das diferentes comunidades das nações.

Está homologado o regulamento de seleção das empresas anfitriãs do COLAMICQ. O Dr. Laserna esclarece a esse respeito "este regulamento se baseia na equidade e no espírito de assistência e cooperação com que foi criada a CPA" "... devemos ser justos, equitativos e respeitosos na América Latina, não nos esqueçamos de que nós, como bloco latino-americano , reivindicamos nosso lugar em termos de igualdade no IFSCC ”.

A Eng. Maria Teresa Alvarez relata a participação no congresso e expressa sua preocupação com o não cumprimento na entrega dos trabalhos e comenta que a organização de dois grandes eventos como o COLAMIQC e o IFSCC “In Between Conference” complica Muita coisa já que mais gente vem e fica difícil organizar suas agendas de atividades diárias. Por outro lado, propõe o estabelecimento de um regulamento para o tratamento de oradores convidados, cortesias diversas e bolsas com isenção de inscrição no congresso.

O Dr. Lucio LASERNA assume como novo coordenador latino-americano do IFSCC e demite o Ing. Miguel Angel Marin elogiando seu desempenho e compromisso com a América Latina, que é presenteado com uma placa em memória de todas as sociedades latino-americanas. O novo coordenador explica as diretrizes de seu plano de trabalho e os objetivos a serem alcançados na área latino-americana. Propõe-se aumentar a comunicação entre as sociedades e intensificar o relacionamento com o IFSCC, principalmente no que diz respeito ao envio de palestrantes dentro do Programa de Palestrantes do IFSCC para que a América Latina tenha sempre palestrantes. As solicitações seriam encaminhadas por meio da Dra. Maite San Miguel (SCHQC), Secretária de Relações Públicas da IFSCC e do Coordenador para a América Latina da IFSCC, Dr. Lucio Laserna (AAQC). Este último obriga as sociedades presentes a enviar uma lista de especialistas de prestígio de cada país para ser distribuída entre as sociedades da região e inscritos no Comité de Assuntos Científicos do IFSCC como potenciais oradores do Programa de Palestrantes.

Fica acordado apoiar o pedido de voto do coordenador latino-americano no IFSCC praesidium por meio de carta dirigida ao presidente da Federação, assinada por todos os presidentes das sociedades latino-americanas.

As sociedades são relembradas da obrigação de comparecer e participar nas reuniões da CPA que se realizam anualmente, uma no ano anterior ao congresso e a outra durante o COLAMIQC. Uma proposta para a criação de um programa de bolsas e estágios para jovens profissionais em países cosmeticamente desenvolvidos “Programa de Bolsas e Treinamento” (STP) é apresentada pelo Dr. Laserna. O que permitiria que jovens químicos de cosméticos de países como o nosso se especializassem no exterior. Esta proposta detalhada será submetida à consideração do Comité de Assuntos Científicos e, se houver acordo, será então elevada à categoria de Praesidium da IFSCC.

A pedido da APQC, solicita-se o reconhecimento da Dra. Bertha Pareja de reconhecida trajetória e pioneira no ensino e divulgação das Ciências Cosméticas no Peru. Fica aprovado por unanimidade conceder-lhe, nos termos do artigo 6.º do regulamento do COLAMIQC, o diploma de Membro Honorário, incumbindo a presidência da CPA a preparação do diploma de honra.

Em seguida, informa-se que o Prêmio Lester Conrad para o melhor programa educacional apresentado pelas sociedades da Federação Internacional foi concedido à Associação Argentina de Químicos Cosméticos. Esta importante conquista é motivo de orgulho para toda a América Latina.

Em 1998, a CPA se reúne nos dias 13 e 14 de agosto, em Santiago do Chile. O primeiro encontro é bastante extenso devido ao grande número de temas a serem discutidos, com início às 8h45 e término às 20h15. Os presidentes das sociedades argentinas, Dra. Cristina Cicconi, Brasil, Dra. Arthur Gradim, Chile, Dra. Ljubica Zulic, Equador, Dra. Susana Valdivieso (delegada), Uruguai, Dra. Lidia Morus e coordenadora Latino-americana do IFSCC Dra. Lucio Laserna.

Discutem-se as críticas construtivas ao congresso realizado no México e assinala-se que os comentários têm como único objetivo melhorar a qualidade organizacional de nossos COLAMIQCs. O Dr. Laserna destaca a importância das reuniões do CEP e comenta o respeito que a IFSCC tem por essas reuniões, que observa com grande expectativa e expressa: “Para dar maior relevância às reuniões do CEP, devemos profissionalizar nossos ações, comunicar às sociedades membros a importância de atendê-las e como conseqüência dessa atuação mais profissional teremos uma presença maior na Federação Internacional ”

Após a leitura do regulamento da CPA e do COLAMIQC com as suas alterações e modificações incluindo dois novos artigos a serem votados na próxima reunião.

Os presentes propõem que as reuniões do ano anterior ao COLAMIQC tenham lugar nas datas em que a sociedade anfitriã realizar as suas conferências científicas anuais. É solicitada uma contribuição de cada empresa para financiar as reuniões da CPA, pactuando sobre a modalidade e sua administração. As sociedades presentes sugerem que se faça uma análise aprofundada do potencial da área latino-americana e sua relação e participação real no IFSCC. Eles então expressaram a necessidade de convocar uma reunião do CPA com o Presidium do IFSCC em maio de 1999 com uma agenda a ser confirmada, momento em que o SCHQC organizaria simultaneamente o COLAMIQC e o IFSCC In Between Conference. O coordenador latino-americano é então solicitado a gerenciar esta reunião com o IFSCC em maio de 1999, antes do início do evento. A ideia é preparar uma apresentação que mostre a importância de nossas instituições e o potencial da América Latina, na qual cada sociedade terá um tema específico para desenvolver.

Assim, o ABC compilou dados estatísticos da América Latina:

O AEQC desenvolverá a história do COLAMIQC.

A AAQC cuidará dos Eventos, Palestrantes, Plano Educacional na América Latina

A AUCC abordará a questão dos países em desenvolvimento e a necessidade de mais apoio da IFSCC

LA SCHQC falará sobre a contribuição dos membros de sociedades latino-americanas que até hoje ocuparam vários cargos na IFSCC: (Jose Joaquín Perez Villalba: Secretário de Relações Públicas / Coordenador da América Latina, Jaime Rubín: Presidente Hamilton Dos Santos: América Latina Coordenador, Miguel Angel Marin: Coordenador da América Latina, Maite San Miguel: Secretário de Relações Públicas, Lucio Laserna: Coordenador da América Latina).

 

Em seguida, eles discutem outros assuntos.O Dr. Cicconi propõe a colaboração de cada Sociedade nos respectivos Ministérios da Saúde, a fim de assessorá-los em questões relacionadas aos cosméticos. Também aumenta a cooperação com universidades.

Também é sugerido aumentar a comunicação entre as sociedades latino-americanas, informando oportunamente sobre mudanças, atividades, padrões atuais de regulamentação de cosméticos e outras informações de interesse.

Informou-se sobre a iminente formação de uma Sociedade Centro-americana formada pela Guatemala, Honduras e Costa Rica, à qual podem se juntar outros países centro-americanos.

 

Conclusões desta reunião:

 

1) A CPA constitui um importante ponto de encontro para as sociedades latino-americanas. É latente a necessidade de melhorar a organização para crescer e intercambiar todo tipo de contribuições entre as sociedades latino-americanas.

 

2) É definida uma posição comum e sólida em relação ao IFSCC para conseguir uma maior participação.

 

3) Estamos num mundo globalizado, por isso a CPA constitui um importante ponto de encontro entre todos os países, do ponto de vista profissional, técnico, comercial e das relações interpessoais.

 

A reunião da CPA em 21 de maio de 1999 se realiza em Santiago do Chile. Nela participam presidentes de empresas dos seguintes países: Argentina (AAQC), Brasil (ABC), Colômbia (ACCYTEC), Chile (SCHQC), Equador (AEQC), Guatemala (ACCQ), México (SQCM), Uruguai (AUCC), Venezuela (SVCC) e o coordenador latino-americano da Federação Internacional.

As ações do CEP nas reuniões de 1998 são aprovadas sem observações.

São divulgados os trabalhos apresentados ao COLAMIQC, inclusive os que concorrem ao Prêmio José Joaquín Pérez.

Devido à ausência de um palestrante de última hora, a Dra. Ljubica Zulic levanta a necessidade de que se por algum motivo um participante do congresso não puder apresentar seu trabalho científico, deverá avisar com antecedência à comissão científica, caso contrário deverá enviar um representante para substituí-lo.

Os delegados concordam que os trabalhos devem ser apresentados primeiro às sociedades do respectivo país para sua primeira aprovação antes de serem submetidos ao congresso, permitindo assim uma apresentação ideal. Por outro lado, o ABC propõe que os melhores trabalhos do COLAMIQC sejam publicados em revista nacional sem limitar a sua apresentação em congressos internacionais.

A agenda da reunião a ter com o IFSCC Praesidium é então planeada e discutida. A federação tem até o momento 13.000 membros pertencentes a 36 sociedades.

O SCHQC expressa a pouca interação entre o IFSCC e a América Latina, ressaltando que os palestrantes enviados não foram da qualidade esperada. A AAQC mostra que das 36 empresas internacionais, 11 pertencem à América Latina, incluindo a ACCQ, fundada em 1998 na Guatemala. O Dr. Laserna acrescenta que o objetivo da reunião do CPA com o IFSCC Praesidium é justamente dar a conhecer os avanços, conquistas e necessidades das sociedades latino-americanas.

No dia 22 de maio entre os presidentes das Sociedades Latino-Americanas e a Coordenadora, é elaborada a apresentação para a reunião a ser realizada com o IFSCC.

Objetivos das sociedades latino-americanas na Federação Internacional (IFSCC):

  • Promover a criação de novas Sociedades de Ciências Cosméticas nos países da América Latina

  • Promover o desenvolvimento da Ciência e Tecnologia, por meio de programas educacionais

  • Promover pesquisas científicas aplicadas a cosméticos

  • Aconselhar na organização de reuniões científicas, congressos, conferências, simpósios

  • Prestar suporte e assessoria nas atividades desenvolvidas pelas Sociedades Latino-americanas no IFSCC

  • Aumentar nossa participação ativa no IFSCC

  • Divulgar o trabalho conjunto das sociedades latino-americanas

  • Alcançar uma cooperação mais fluida nas relações técnico-científicas com o IFSCC

Na resenha histórica do COLAMIQ escrita para a ocasião pela Dra. Isabel de Luque presidente do AEQC, ela transcreve as palavras proféticas do Dr. José Joaquín Perez Villalba que no encerramento do Congresso de Cosméticos e Perfumaria realizado no Chile em Novembro de 1972 dizia:… “culminando assim uma nova etapa da união e fraternidade cosmética latino-americana, por iniciativa do Chile, na esperança de que se espalhe no tempo e no espaço para todo o hemisfério”. No final de sua narração, a Dra. Luque expressa, referindo-se ao desenvolvimento do COLAMIC: “Nada indica que seja um processo reversível, desde que nós, latino-americanos, continuemos encontrando forças na união com nossos irmãos. Muitos processos de outro tipo, social, político, econômico, poderão aprender muito com este grupo de brilhantes latino-americanos que com tenacidade, vontade, ordem e humildade desenvolveram formas de colaboração científica e tecnológica que beneficiam nossos países, berço da nova geração de latino-americanistas. ”.

 

A reunião da CPA e do Presidium moderada pelo Dr. Arthur Gradim presidente da ABC em colaboração com a Dra. Laserna Coordenadora da América Latina. O presidente do IFSCC destaca, em resposta à necessidade de maior reconhecimento da América Latina levantada pelo CPA pleno, que também está em processo de mudança organizacional e que pretende dar maior atenção aos países membros. Para isso, evocam a formação de um grupo de trabalho denominado visão 2000. No entanto, os membros do Praesidium presentes não têm muito entusiasmo em conceder o direito de voto ao Coordenador Latino-Americano, pois pensam que isso implicaria um aumento do número de membros do Praesidium. também estimando que talvez houvesse novos coordenadores de outras regiões do mundo que seriam adicionados. Um eventual aumento do número de membros do Praesidium não seria desejável, uma vez que se perderia a eficiência na governação da Federação.

Os presidentes da Argentina, Chile, Colômbia, Brasil e Venezuela insistem na importância para as Sociedades Latino-Americanas de serem representadas pelo coordenador, não como membro designado, mas como membro pleno do Praesidium com direito a voz e voto. Eles também expressam sua esperança de que isso aconteça em um futuro próximo. O Dr. Zulic (SCHQC) conclui o encontro sublinhando: “a importância deste encontro que permitiu ao PCA estreitar a comunicação entre as Sociedades Latino-Americanas, bem como ajudar a estreitar os laços entre o Praesidium e as sociedades pertencentes aos países latino-americanos. A chegada do novo milênio levanta uma reforma em sua organização dentro do IFSCC. "

No entanto, a rejeição do pedido das sociedades latino-americanas de mudar o status do coordenador latino-americano para membro pleno com voz e voto dentro do praesidium leva a uma consciência dentro do CPA de que, como organização, precisa se adaptar às necessidades regionais por meio de uma mudança. radical. É quando começa a crescer o consenso sobre a formação de uma Federação Latino-Americana, sem se separar do IFSCC.

Somente dessa forma poderiam ser obtidas respostas concretas às necessidades das sociedades membros, como educação, pesquisa, intercâmbio, profissionalização. A reunião de 6 e 7 de outubro de 2000 em Buenos Aires seria decisiva para a criação da Federação Latino-americana. Em primeiro lugar, pela grande afluência e participação dos presidentes das sociedades latino-americanas e, em segundo lugar, pela eficácia de suas intervenções. O Coordenador Latino-Americano acostumado a atuar dentro da Federação Internacional propõe uma agenda para lançar as bases de uma Federação Latino-Americana.

Estas reuniões contam com a presença dos presidentes: Eng. Carlos Pasta (AAQC), Dr. Rubens Brambilla (ABC), Dra. Diana Martinez Cifuentes (ACCYTC), Dra. Maria Ivon Abuawad (SCHQC), Dra. Soraya Coz (APQC) , Dra. Lidia Morus (AUCC), como convidados: Dra. Silvia Perez Damonte (AAQC) e Dra. Lucio Laserna (IFSCC).

A presidência do CPA (SCHQC) informa que até o momento são 16 países que o integram, reunidos em 11 sociedades latino-americanas. São indicados o escopo do CPA e sua funcionalidade, seus regulamentos atualizados e a função de cada cargo de gestão. Uma vez iniciada a discussão, os delegados presentes trocaram opiniões sobre o âmbito da CPA, que atualmente trata de temas que extrapolam os objetivos que outrora essas reuniões tiveram. Portanto, considera-se necessário reformular o escopo inicial da CPA. Que deveria ser, além de um centro de comunicação das sociedades membros, um fórum para discussão de temas como legislação, cosméticos na região, uso de recursos naturais de origem latino-americana de interesse cosmético, revisão de ingredientes para uso cosmético, métodos de avaliação da segurança e eficácia dos cosméticos e todas as questões científicas e tecnológicas relacionadas aos produtos cosméticos. E assim ampliar os objetivos adaptando-os ao tema formulado nas últimas reuniões.

Para dar um caráter mais formal a essas reuniões e levando em conta a importância que têm nos países da América Latina e que devido à recente reestruturação do IFSCC, o cargo de Coordenador Latino-Americano desaparecerá em setembro de 2001, o Os delegados presentes decidem que a CPA seja reformulada em seu escopo e objetivos e passará a se chamar FEDERACION LATINOAMERICANA DE SOCIEDADES DE CIENCIAS COSMETICAS FE.LA.SCC comprometendo-se a redigir a constituição desta federação para submetê-la a votação na próxima reunião marcada para o início Setembro de 2001.

 

A Dra. Brambilla (ABC) comenta: “A importância dessas reuniões para o crescimento das sociedades, sugerindo que esses fóruns discutam a legislação cosmética, o relacionamento com as autoridades nacionais de Saúde Pública, troque questões técnicas e dificuldades comuns em vários países. da região." O Eng. Carlos Pasta (AAQC) explica: “Em todos os países existem diferenças entre empresas e câmaras empresariais. O papel das sociedades deve ser definido para que sejam um órgão consultivo do Ministério da Saúde. Sugiro a interligação das sociedades membros da FELASCC para poderem harmonizar-se com o apoio técnico apresentando-se aos respectivos ministérios com argumentos sólidos, avalizados por profissionais especializados na matéria. ”

O Dr. Laserna (AAQC) sugere “estabelecer que são as sociedades de química cosmética que naturalmente deveriam ser o apoio técnico das autoridades de Saúde Pública, das câmaras industriais e comerciais, pois são elas que têm o conhecimento e experiência para fornecê-lo com adequação. "

Depois de explicar a reestruturação do IFSCC praesidium, o Dr. Laserna ressalta que apesar de a América Latina ter um representante entre seus membros, não será o Coordenador Latino-americano, já que esse cargo deixará de existir em meados de setembro do próximo ano. É proposta uma lista restrita de três candidatos das seguintes empresas ABC, SQCM e SCHQC, entre as quais é eleita a Dra. Maite San Miguel (SCHQC), que será informada da decisão dos delegados da FELASCC. Convidado especial do encontro é o Dr. Jaime Rubín, Co-fundador do CPA, que faz um balanço histórico “dos primórdios do COLAMIQC e do espírito de solidariedade e camaradagem que prevalecia na altura em que o CPA foi criado”. à consideração dos presentes a oferta de criar um prêmio denominado "Pérola de Rubin" em memória de sua esposa e assistente pessoal e que acompanhará todas as alternativas do movimento educativo de Química Cosmética na América Latina, desde as origens, quando em 1972 em O Chile se propôs à Argentina como organizador do Primeiro Congresso Latino-Americano de Química Cosmética (1973). Culminando seu árduo e meritório trabalho, durante a organização do XIII Congresso IFSCC em Buenos Aires em 1984. Este prêmio terá como objetivo estimular o trabalho científico relacionado à inovação em produtos cosméticos na América Latina. Este prêmio será administrado pela FELASCC.

Meses depois, precisamente em 21 de fevereiro de 2001, aproveitando a presença de várias sociedades latino-americanas para a exposição ICE em Miami, EUA e a pedido do coordenador latino-americano, os representantes da Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, México, Peru e Venezuela. Os convidados são a Dra. Maite San Miguel Coordenadora de Congressos e Conferências da IFSCC e futura representante da América Latina na IFSCC, indicada pela FELASCC, e o Dr. Lucio Laserna, atual coordenador da IFSCC para a América Latina. Este último relata em reunião sobre uma diretoria provisória da FELASCC aguardando a elaboração dos estatutos:

Presidente: Dra. Edda Costa Castro (SCHQC) Chile

1º Vice-presidente: Eng. Carlos Pasta (AAQC) Argentina

2º Vice-Presidente: Dra. Diana Martinez (ACCYTC) Colômbia

Secretária: Dra. Maria Ivon Abuawad (SCHQC) Chile

Tesoureiro: a ser nomeado SCHQC) Chile

Pró-tesoureiro: Sr. Edgardo Guolo (AAQC) Argentina

 

Os delegados presentes reiteram seu compromisso de redigir o Estatuto da FELASCC com base nas diretrizes propostas pela Dra. Laserna. Os delegados concordam em preparar projetos de redação dos estatutos e depois de submetê-los à consideração das respectivas empresas para fazer as correções correspondentes e, assim, chegar ao texto final que será votado em setembro de 2001. Em seu último relatório ao IFSCC, o O Dr. Laserna informa a Federação Internacional da iminente constituição do FELASCC.

 

É desta forma que em 8 de setembro de 2001, após deliberação, os presidentes das empresas da Argentina, Brasil, América Central, Chile, Colômbia, Equador, México, Peru, Uruguai e Venezuela votam o primeiro estatuto da FELASCC, sendo formalmente constituído .

O primeiro conselho de administração é composto da seguinte forma:

 

Presidente: Ing. Carlos Pasta (AAQC) Argentina

1º Vice-presidente: Dra. Myriam Moya Suta (ACCYTC) Colômbia

2º Vice-presidente: Dra. Soraya Coz Seguil (SPQC) Peru

Secretário 1: Dr. Carlos Trevisan (ABC) Brasil

Secretário 2: Dra. Alina Ratto (APQC) Peru

Tesoureira: Dra. Silvia Perez Damonte (AAQC) Argentina

Pró-tesoureiro: Dr. Antonio Gonzalo Cardozo Olmos (ACCYTC) Colômbia.